A História do Café no Brasil e no Mundo

Perdendo somente para o petróleo, o café é a mercadoria legalmente comercializada mais valiosa no mundo. As pessoas amam o café, contam com esta bebida, e quantidades enormes são consumidas. Estima-se que 2,25 bilhões de xícaras de café são bebidas a cada dia em todo o mundo.

Dizia-se que nova iorquinos bebem 7 vezes mais café do que qualquer outra cidade do mundo.

O café é um ritual diário nas vidas de milhões de seres humanos ao redor do planeta. Onde exatamente este fenômeno cafeinado começou?

Tal como ocorre com a maioria dos alimentos que estão presentes por séculos, o início do café é envolto em mistério e sabedoria. Há uma lenda etíope popular em que o café é descoberto por um pastor de cabras chamado Kaldi, que encontrou suas cabras brincando e cheias de energia depois de comer o fruto vermelho do arbusto de café.
lenda etiope historia do cafe
Kaldi experimentou o fruto e teve uma reação parecida. Depois de testemunhar o comportamento estranho deles, um monge levou um pouco do fruto de volta aos seus companheiros monges; eles também passaram a noite acordados e alertas.

É claro, eles estariam reagindo à dose alta de cafeína do café. Este estimulante natural também serve como um pesticida de planta inata, protegendo o fruto do café dos insetos. Antes de o café ter se tornado a bebida do café da manhã preferida, o mesmo aparecia em uma variedade de diferentes preparações.

Dizia-se que o famoso escritor francês, e filósofo, Voltaire bebia de 40 a 50 xícaras por dia.

Em sua forma mais básica, a forma não processada, o café é um fruto parecido com cereja, que se torna vermelho quando maduro; o grão de café é encontrado no centro do fruto de café vermelho. Logo no início, o fruto era misturado com gordura animal para criar uma barra de lanche rica em proteína.

Em um ponto, a polpa fermentada foi usada para fazer uma mistura parecida com vinho; incidentalmente, uma bebida semelhante foi feita do fruto do cacau, antes do advento do chocolate.

Isso segue para mostrar que os seres humanos são especialmente hábeis em encontrar novas formas de beber. Outra bebida que apareceu em torno de 1000 d.C foi produzida do fruto inteiro do café, incluindo os grãos e o casco.

Versão Moderna do Café Torrado

Foi no século 13 que as pessoas começaram a torrar grãos de café, o primeiro passo no processo de produção do café como é conhecido atualmente. A palavra “café” tem raízes em várias línguas. No Iêmen ganhou o nome qahwah, que era originalmente um termo romântico para vinho. E mais tarde se tornou o kahveh turco, então Dutchkoffie e finalmente coffee em inglês.

A versão moderna do café torrado originou na Arábia. Durante o século 13, o café era extremamente popular com a comunidade muçulmana pelos seus poderes estimulantes, que se revelaram úteis durante sessões longas de oração. Por secar e ferver os grãos de café, tornando-os inférteis, os árabes foram capazes de monopolizar o mercado em culturas de café.
historia do cafe mundial
Na realidade, a tradição diz que nem uma única planta de café existia fora da Arábia ou África até os anos 1600, quando Baba Budan, um peregrino indiano, deixou Meca com grãos férteis presos em uma cinta em seu abdômen. Os grãos de Baba resultaram em um comércio de café europeu novo e competitivo.

Em 1616, os holandeses fundaram a primeira fazenda de café de propriedade européia no Sri Lanka, então Ceilão, e depois Java em 1696. Os franceses iniciaram o cultivo do café no Caribe, seguido pelos espanhóis na América Central e portugueses no Brasil.

As casas de café européias surgiram na Itália e mais tarde na França, onde atingiram um novo nível de popularidade. Agora, não basta uma baguette ou croissant, mas xícaras de café satisfaz toda a Paris, com inúmeras cafeterias.

As plantas de café chegaram ao Novo Mundo durante o início do século 18, embora a bebida não fosse realmente popular na América até Boston Tea Party de 1773, quando a troca de chá para café se tornou uma espécie de dever patriótico.
historia do cafe
A Guerra Civil e outros conflitos que seguiram também ajudaram a aumentar o consumo do café, já que soldados contavam com a cafeína para impulso de energia. E pode ter iniciado um pouco mais tarde, mas os americanos amam café simplesmente tanto quanto o restante do mundo.

Teddy Roosevelt é considerado um dos grandes consumidores de café da América devido à sua ingestão de um galão de café diariamente! (rumores) Diz-se também que Roosevelt cunhou o famoso slogan “Good to the Last Drop” – Bom até a última gota – de Maxwell House, após ser servido o café na casa histórica de Andrew Jackson, Hermitage, no Tennessee.

Bom até a última gota – Roosevelt

Mercadoria Mundial

Ao final dos anos 1800, o café tinha se tornado uma mercadoria em todo o mundo, e empresários começaram a buscar novas formas de lucrar com a bebida popular. Em 1864, John e Charles Arbuckle, irmãos de Pittsburgh, compraram a recém-inventada torrefadora de grãos de café de Jabez Burns.

Os irmãos Arbuckle começaram a vender café pré-torrado em sacos de papel por peso. Eles nomearam o café deles de “Ariosa”, e tiveram grande sucesso o vendendo aos cowboys do oeste americano.

Não demorou muito antes que James Folger seguisse o exemplo e começou a vender café aos mineradores de ouro da Califórnia. Isto abriu o caminho para vários outros produtores de café de grande nome, incluindo Maxwell House e Hills Brothers.

Na década de 1960, a consciência moderna para café especial começava a crescer, inspirando a abertura da primeira Starbucks em Seattle em 1971. Atualmente, o movimento de café popular continua a crescer com o aumento de cafés pequenos de propriedade independente vangloriando grãos sustentáveis, localmente torrados, de comércio justo.

O café se tornou um comércio artístico que é valorizado por sua complexidade de sabores e terroir, muito como o vinho. De uma simples xícara de café preto a um pedido complexo, de vários adjetivos da Starbucks, cada consumidor de café tem sua forma favorita de se entregar a esta bebida cafeinada maravilhosa.

Maior Produtor e Exportador do Mundo: Brasil

Para a maioria das pessoas, um aspecto importante do ritual de manhã é consumir uma xícara de café. Então é muito interessante saber mais sobre este aspecto de excelência da vida rotineira. Cerca de um terço de todo o café do mundo vem do Brasil, tornando este país de longe, o maior produtor de café do mundo. O Brasil ocupou esta posição pelos últimos 150 anos.
historia do cafe no brasil
As plantações de café, cobrindo em torno de 25899,8 km², são localizadas principalmente nos estados do sudeste de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, onde o ambiente e clima oferecem condições de crescimento ideais.

A safra inicialmente chegou ao Brasil no século 18 e o país tinha se tornado o produtor dominante pela década de 1840. O café não é nativo das Américas e teve que ser plantado no país. Segundo o historiador Boris Faust em seu livro, “A Concise History of Brazil”, o primeiro arbusto de café no Brasil foi plantado por Francisco de Melo Palheta no estado do Pará em 1727.

De acordo com a lenda, os portugueses estavam buscando capitalizar a partir do mercado do café, mas não foi possível obter semente da fronteira com a Guiana Francesa, devido à falta de vontade do governador para exportar os grãos.

O primeiro arbusto de café no Brasil foi plantado por Francisco de Melo Palheta no estado do Pará em 1727.

Palheta foi enviado à Guiana Francesa em uma missão diplomática, e em seu caminho de volta para casa, ele conseguiu contrabandear as sementes para o Brasil seduzindo a esposa do governador.

Produção e Exportação do Café Brasileiro

Já na década de 1920, o Brasil monopolizou o mercado internacional de café e fornecia 80% do café mundial. Desde a década de 1950, a quota de mercado do país diminuiu de forma constante devido ao aumento da produção global.

Apesar do domínio reduzir e as tentativas do governo brasileiro de diminuir a dependência do setor de exportação em uma única cultura, o café ainda foi responsável por 60% das exportações totais do Brasil até 1960, e permanece uma porção considerável das exportações do país atualmente.
brasil maior produtor de cafe
A indústria de processamento do Brasil é dividida em dois grupos diferentes, café térreo/torrado, e café instantâneo. O mercado do primeiro é altamente competitivo. Em contraste, o mercado do café instantâneo é altamente concentrado com as 4 grandes empresas considerando 75% do mercado.

O Brasil é o maior exportador mundial do café instantâneo, com este constituindo de 10 a 20% das exportações de café totais. Os 2 tipos de café são principalmente exportados para os Estados Unidos.

O café continua um importante produto de exportação, embora sua importância tenha caído nos últimos 50 anos. As exportações de café como uma porcentagem do total das exportações foi superior a 50% entre a década de 1850 e 1960, com um pico em 1950 de 63,9%.

A percentagem começou a declinar na década de 1960, quando outros setores de exportação pesada expandiram. Em 1980, a exportação de café caiu para 12,3% do total, e em 2006 representou apenas 2,5%. Não há impostos sobre as exportações de café do Brasil, mas a importação de café verde e torrado no país é tributada em 10%, e o café solúvel por 16%.

O café não processado pode ser exportado com isenção de imposto para os 3 maiores mercados, Estados Unidos, União Européia e Japão, mas o café processado como grãos torrados, café instantâneo e café descafeinado é tributado em 7,5% na UE e 10% no Japão. As exportações aos Estados Unidos são livres de tarifa.

De acordo com o Conselho de Exportadores de Café do Brasil ou CeCafe, após uma redução acentuada nas exportações devido ao excesso de chuvas em 2017, as exportações de café brasileiro aumentaram significativamente em 2018.

Segundo um artigo do G1, os agricultores brasileiros exportaram 31.52 milhões de sacas de grãos de 60 kg em 2018, um aumento de 15% comparado a 2017.

Em dezembro/2018, as exportações de café somaram 3,36 milhões de sacas, contra 2,64 milhões de saca do ano anterior. O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo, e o tamanho de sua colheita anual pode ter um efeito forte sobre os preços mundiais.

Onde este café todo segue e quem o consome? O Brasil por si é o segundo maior consumidor de café, seguido pela Alemanha, segundo International Coffee Organization em Londres.

Uma parcela significativa da exportação de café do Brasil vai para os Estados Unidos, o maior consumidor de café do mundo devido a sua grande população. Em termos de consumo per capita, os finlandeses são imbatíveis.

Museu do Café

O café fala tanto sobre a cultura e história brasileira. E não importa se uma pessoa vive nas favelas ou bairro exclusivo do país. Há sempre uma xícara de café para consumir de manhã ou tarde da noite. O café trouxe riqueza à nação e formou um modo de vida para seu povo.
museu do cafe
O Museu do Café tem instalação no edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, em Santos, e possui como foco a preservação e divulgação da história do café no país e no planeta através das próprias exposições e atividades de cultura.

No ano 1986, o governador do Estado de São Paulo, toma ações à extinção da Bolsa Oficial de Café, que tinha terminado parcela de suas atividades nos anos 1960. Na atualidade é mantido por Associação dos Amigos do Museu do Café. Pelo acervo se situam obras de Benedito Calixto, os vitrais e painéis, sem contar o espaço às exposições temporárias.

No interior do projeto museológico se situam biblioteca e arquivo, acervo e centro de preparação do café, e a livraria, sendo sem dúvida um local interessantíssimo aos apaixonados por café a conhecer.

Fonte: PBS, More Than Shipping, Museu do Café e Prefeitura de SP.

Seu comentário é importante!